O que é BI (Business Intelligence) e como utilizá-lo na sua empresa?

COMPARTILHE COM SEU TIME!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
BI (Business Intelligence)

Você sabe o que significa BI (Business Intelligence)? Descubra aqui a explicação para a sigla e entenda como utilizar todo esse processo de análises e estratégias, tendo a tecnologia como aliada, no intuito de aprimorar o desempenho dos negócios e obter excelentes resultados.

E mais: saiba porquê as empresas vêm utilizando esse conjunto de técnicas como fonte precisa não só no acesso de dados, mas principalmente na inspeção de diversas informações. Tudo isso através de ferramentas que são empregadas para aprimorar o desempenho da equipe e potencializar as tomadas de decisões mais vantajosas. Confira!

BI (Business Intelligence): o que é?

BI (Business Intelligence)
BI (Business Intelligence)
Entenda o significado!

A tradução para o português define bem o que significa BI (Business Intelligence): na nossa língua seria o mesmo que Inteligência de Negócios, ou seja, é quando o armazenamento, as análises e aplicações de dados, associados à tecnologia, apresentam informações precisas para otimizar o desempenho das empresas e suas tomadas de decisões, tendo como foco os resultados mais assertivos.

Para que se tenham ações eficazes, o BI (Business Intelligence) requer mais do que ferramentas para as devidas análises e possíveis tomadas de decisões. É um conjunto de intervenções que agregam também a infraestrutura da empresa, diversos aplicativos, dentre outros que justifiquem o acesso às informações desejadas para se obter os melhores desempenhos possíveis.

Se para cada área específica de uma empresa há profissionais qualificados em diversas ações estratégicas, como nos departamentos de Recursos Humanos, Transportes, Compras, Financeiro, o BI (Business Intelligence) também é visto como um setor, com colaboradores capazes de utilizar as técnicas e estratégias no intuito de proporcionar, junto à tecnologia empregada, todo discernimento para obtenção, análise e aplicação de dados.

A proposta principal do BI é juntar todos os dados possíveis e estreitá-los de maneira que se obtenha uma única reta de informações. Tal ação acaba entregando de maneira mais eficaz algumas análises previamente estabelecidas, além de amplos relatórios, tudo num espaço de tempo mínimo e com maior precisão.

Com esses dados assertivos em mãos, fica mais fácil para os profissionais entenderem melhor as suas audiências. A equipe de marketing, por exemplo, encontraria um melhor posicionamento na hora de elaborar suas campanhas, anúncios, etc., além do reconhecimento sobre quais clientes em potencial poderiam se envolver com a compra de determinado produto ou serviço.

Como ele funciona na prática?

O primeiro passo é a aquisição de softwares que permitam a junção dos mais diversos dados gerados por uma empresa. Além disso, utilizar uma ferramenta que entregue infográficos e dashboards é essencial para a explanação desses resultados.

Vale lembrar que os relatórios gerados precisam ser contínuos, sem aquela ideia de obter tais informações somente em datas específicas. E aplicá-los sistematicamente, sempre que for possível, verificando quais informações são precisas para o bom andamento do negócio. 

Como o fator tempo é imprescindível para obtenção dos melhores resultados, quem administra um setor de BI (Business Intelligence) deve reconhecer a paciência como grande aliada de toda a equipe. Contudo, diante dos relatórios sendo analisados periodicamente e as informações cruzadas, abrem-se as portas para maior clareza dos dados, gerando um conhecimento mais amplo sobre o negócio em questão e tornando tudo mais prático em todas as áreas de determinada empresa.

Utilizando o BI (Business Intelligence) na sua empresa

BI (Business Intelligence)
BI (Business Intelligence)
Coletando dados

Tenha em mente o seguinte: todo o trabalho a ser feito é a coleta de dados, além dos devidos cruzamentos dessas informações e análises dos resultados. Com isso, gera-se relatórios e infográficos capazes de direcionar melhor as campanhas, entender seus leads, reconhecer quais regiões se envolvem mais com seus produtos ou serviços, os padrões de consumo de seus leads, dentre outras averiguações. É possível ainda saber a quantidade de usuários que visitam as páginas de seu negócio, os melhores dias de visita, coletar dados internos das equipes da própria empresa e, enfim, as taxas de conversão, sejam elas em leads ou vendas.

Para que tudo isso possa acontecer, é preciso contratar softwares que entreguem tais dados à empresa. Um CRM, por exemplo, é capaz de absorver as mais diversas informações geradas por qualquer negócio. Há ainda plataformas próprias de BI (Business Intelligence), ferramentas de automação para marketing e até web analytics. Um programa bastante comum, mas que gera resultados na elaboração de gráficos, por exemplo, é o Excel, encontrado no Pacote Office. Contudo, fica à escolha da empresa os melhores aplicativos para obtenção dessas informações.

Hoje em dia o mercado conta com grandes profissionais da área, pessoas altamente qualificadas para a aquisição desses softwares e ferramentas e também para o gerenciamento dos mesmos. É preciso que se avalie a contratação dessas pessoas, já que nem todos os colaboradores de determinado empreendimento têm as aptidões necessárias para conduzir o processo.

O profissional tem ainda a capacidade de entender quais dados a serem coletados tornam-se mais precisos para o que se busca na sua empresa. Se seu negócio, por exemplo, atua numa única cidade, captar dados de ampla logística não seria algo tão viável. Contudo, informações sobre maiores conversões de leads e os bairros onde isso acontece é altamente importante. 

Quais desses leads já compraram seus produtos ou serviços? Quantos voltaram ao site para efetuar duas ou mais aquisições? Com isso em mãos, pode-se focar em campanhas para esses clientes no intuito de fidelizá-los.

Inspeção de dados utilizando o BI (Business Intelligence): entenda como funciona na prática!

Quando determinada empresa analisa algumas informações, essa avaliação geralmente parte de um problema ou de um êxito alcançado. Exemplo: suponhamos que a visita no site de seu estabelecimento tenha caído nos últimos três meses. Esse é um problema que precisa de uma boa averiguação. Ou então, as vendas de determinado produto aumentaram sistematicamente, ocasionando a diminuição repentina no estoque. Esse êxito precisa ser analisado e entendido, até para ser repassado a outros produtos que estejam encalhados.

Com os softwares, aplicativos, dentre outras ferramentas em pleno funcionamento, ao afunilar as informações, pode-se chegar em dados precisos sobre o problema e o êxito. Você consegue saber o que está havendo, por que isso está ocorrendo e entenderá melhor os caminhos para eliminar o problema ou até mesmo implementar campanhas em relação ao êxito obtido em outros produtos.

Os dados, ao serem analisados, podem inclusive antecipar problemas futuros, preparando as próximas ações para soluções efetivas. E em relação aos êxitos, podem servir de parâmetro para novas avaliações daqui a 03 ou 06 meses.

Um exemplo bem objetivo de utilização do BI

BI (Business Intelligence)
BI (Business Intelligence)
Plataformas de Streaming

Provavelmente você conheça a plataforma Globoplay, ou pelo menos tenha ouvido algo sobre ela. A ferramenta entrega aos assinantes diversos filmes, séries, novelas e produtos ao vivo tendo a internet como base. Teria a Globoplay se estabelecido no mercado do streaming somente pelo fato de a internet oferecer os bytes necessários para visualização on-line?

É óbvio que não! A análise de muitos dados provavelmente tenha sido um dos alicerces para a construção da plataforma. Uma delas é o interesse do público por novelas antigas, o que já vinha alavancando o ibope do Canal Viva, que é do Grupo Globo.

Pois bem… lembra da pergunta feita no subtítulo anterior: “O que está havendo”? No que se refere à Globoplay, a resposta seria: “Espectadores saudosos desejam rever os grandes sucessos da emissora”. “Por que isso está ocorrendo?” Resposta: “Os temas das obras atuais, apesar de estudados antes de irem ao ar, não têm impactado o público noveleiro, como fazia a carpintaria dramatúrgica do passado”. E por aí vai!

Agora, independente da plataforma de streaming apresentada, repare que todas elas têm separado as obras não só pelo gênero, mas principalmente por “filmes que talvez você goste”, “os mais assistidos”, etc. Essa subdivisão dependeu de uma ampla análise, possivelmente feita através de uma Inteligência de Negócios.

Conclusão

Criar relatórios precisos, planejar os próximos passos, compreender os resultados para não cometer os mesmos erros, acompanhar a performance das vendas que tiveram êxito, tudo isso é possível tendo em mãos as ferramentas capazes de entregar à empresa as melhores ações de BI (Business Intelligence). Para tanto, é preciso conhecer um pouco sobre o sistema e ter profissionais capacitados para gerar esses dados.

Utilizar todo esse processo em uma empresa requer paciência devido ao tempo que se leva para obtenção dos primeiros resultados. Contudo, implantar o BI num negócio é a certeza de que os dados espalhados pelos diversos departamentos terão um final comum, que é a precisão nos relatórios. Sendo assim, angariar leads, gerar vendas ou mesmo organizar a empresa de forma que suas estruturas sofram os menores abalos possíveis é tangível e tem alavancado inúmeros negócios pelo mundo.

Gostou do que leu?

Então confira outros artigos recomendados pra você!

Teste Grátis a melhor ferramenta de MultiAtendente para WhatsApp do mercado?

Tenha vários usuários em um único número de WhatsApp!

Centralize a informação e melhore a qualidade do atendimento!