Como a Netflix superou a Blockbuster e dominou o mercado do audiovisual?

COMPARTILHE COM SEU TIME!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Netflix

Com tantas novidades ofertadas nas plataformas de streaming, como os originais entregues diariamente pela Netflix, você iria, nos dias de hoje, até uma locadora para buscar e depois devolver alguns poucos filmes em DVD, Blu-ray ou VHS?

Revisitar a lendária Blockbuster com seu amplo acervo cinematográfico, dentre outros itens disponíveis no acréscimo de ofertas dentro das suas lojas físicas, é entender a efemeridade na maneira de se vender produtos e serviços como víamos antigamente. Além disso, é também atentar-se principalmente aos novos meios que surgem a cada momento para conversão e retenção de clientes.

Por exemplo: a Blockbuster, maior rede de locadoras de filmes de todo o mundo, predominou com força total nos anos 1990 e 2000, e só no Brasil ultrapassou uma década de protagonismo. Contudo, diante de tantas conquistas (em 1994 a empresa já contava com 4.500 lojas abertas ao redor do planeta), nascia um empreendimento que viria a ser seu grande adversário.

Denominado Netflix, o novo negócio chegava no final da década e tinha no conforto das residências o diferencial para entrar no mercado. Ou seja, ao invés de a pessoa se deslocar até a locadora, o produto é quem iria até sua casa via correio. E mais: sem a necessidade da devolução imediata e multas! Será que deu certo a novidade?

Acompanhe a trajetória de sucesso da Netflix e entenda como ela superou a gigante Blockbuster, dominando com maestria o mercado do audiovisual na internet!

Netflix

A história da Netflix

Fundada na Califórnia no final dos anos 1990 pelos amigos Reed Hastings e Marc Randolph, a Netflix foi totalmente idealizada para ser uma locadora que iria até o cliente, ao invés do mesmo se deslocar até uma loja física. 

Naquela época, o pressuposto da ideia era suprir a necessidade das pessoas que moravam longe das empresas que locavam filmes, e a entrega via correios facilitaria suas vidas.

Esse novo jeito de ofertar filmes era bastante interessante, porém, havia uma necessidade de logística mais apurada e a vontade de inovar inspirava Hastings e Randolph a todo instante. Eis que os fundadores resolveram tornar todo o processo de aluguel via assinatura.

Uau! E como se daria essa estratégia?

O cliente que optasse pela modalidade, poderia ficar o tempo que desejasse com a fita ou DVD e só os devolveria quando solicitasse um filme novo. 

A quase extinção das fitas VHS e o baixo custo do DVD no mercado fizeram com que o modelo de assinatura se tornasse ainda mais interessante. Tal situação colocou a Netflix em evidência. Tanto que, em 2002, a empresa passou a ofertar a compra de ações na Bolsa de Valores.

Da assinatura física para o streaming

A velocidade com que a internet chegava ao mundo passou a direcionar inúmeros negócios. Se o e-commerce expandiu-se de forma crescente e rápida, a Netflix não dormiu no ponto quando notou que através dessa nova etapa de transferência de dados e conexões um novo modelo de entrega de filmes poderia surtir o efeito esperado.

Até então, a intenção da empresa era disponibilizar conteúdo para download. Contudo, essa ideia foi descartada quando abriu-se a possibilidade da assinatura dos serviços acontecer através de um site onde os filmes ficassem disponíveis para serem vistos no sistema de streaming. Nascia, então, a netlifx.com em 2007.

Hoje a empresa está presente em mais de 190 países em todo o mundo e é uma das maiores companhias de streaming com conteúdos clássicos, lançamentos e produtos originais. Há produções distribuídas conforme as regiões em que a Netflix se encontra. Porém, muitos de seus produtos ultrapassam essas fronteiras, ganhando notoriedade em diversos outros lugares.

Netflix

Netflix: oferta imperdível que a Blockbuster negou

Quando o ano 2000 entrou na vida de todos nós, a Netflix encarava a Blockbuster como grande concorrente. E diante disso, enfrentá-la poderia ser algo não só difícil, mas também impossível de superar.

Sendo assim, Hastings entrou em contato com o CEO da Blockbuster e ofertou a Netflix por 50 milhões de dólares. Sem se atentar ao crescimento da internet e o que a mesma seria para a concorrente, John Antioco disse ‘não’ à proposta Reed Hastings. Ou seja, a Blockbuster assinalava seu destino de ficar para trás.

O fato é que uma década depois da proposta a Netflix já era gigantesca na sua atuação, fazendo parcerias com distribuidoras protagonistas do mercado audiovisual como a Paramount, Disney e Sony. Enquanto isso, a Blockbuster declarava sua falência.

A situação foi notícia, até porque já se sabia muito antes da proposta negada. Enfim, a Blockbuster via seu nome sair da Bolsa de Valores e encarava uma dívida quase bilionária.

Conteúdo autoral da Netflix: outro acerto da plataforma

Ofertar apenas produtos autorais de terceiros via internet já não aguçava mais a rotina dos fundadores da Netflix. A empresa necessitava de algo novo para entregar ao mercado.

Após ideias e apontamentos, surge a interessante proposta de produzir alguns conteúdos próprios, o que alavancaria ainda mais a produção audiovisual em todo o mundo.

O primeiro produto feito pela Netflix foi a série Lilyhammer. O sucesso instigou novas produções, como House Of Cards, série que recebeu indicações ao Emmy.

Quatro anos após a primeira produção (que aconteceu em 2012), a Netflix entregava ao mercado mais de 120 produtos audiovisuais, dentre filmes e séries. Tal situação abriu uma nova porta para o mercado cinematográfico, que abraçou licenciamentos de produtos em parceria com a plataforma, além da coprodução internacional, dando espaço para produtoras de diversas partes do mundo.

Hoje é comum assistirmos a seriados ou filmes que têm na sua assinatura a marca Netflix. São produtos premiados, em evidência em todo o planeta e com a capacidade de geração de emprego e renda à uma área que viria a enfrentar maus momentos com a pandemia, porém, teria na plataforma de streaming (além de outras do mesmo segmento) uma boa razão para continuar. 

Netflix

Netflix: sinônimo de puro entretenimento

Hoje é muito comum os dizeres: “Vou ver Netflix!” antes mesmo de apontar o nome da série ou filme que serão assistidos na plataforma. Isso se dá pelo sucesso do empreendimento em todo o mundo. 

A Netflix pode ser incluída como uma das empresas mais visionárias da internet. Hoje seus produtos estão em festivais, mostras e inclusive são assuntos nas mais diversas redes sociais. A própria empresa é presente na internet, interagindo com seu público cativo, e entrega facilidades ao cliente na aquisição e alteração de seus serviços.

Dados de 2021 já apontavam números pioneiros da empresa no mercado online e do audiovisual. Eram mais de 700 obras produzidas e distribuídas pela própria companhia (algumas premiadas), um vasto catálogo com produções oriundas de outras distribuidoras (filmes, séries, documentários), e a capacidade do cliente salvar o título que desejar para assistir offline quando bem quiser.

Somente em 2018 no Brasil, a Netflix já havia produzido mais de 70 filmes nacionais, tendo em seu catálogo quase 3 mil ofertas dos mais diversos países do mundo. As séries alcançavam o patamar de 1.000 obras à disposição dos assinantes, sendo mais de 25 delas pertencentes à produção nacional. Os dados são das plataformas BB Multiscreens, Platforms & Contents.

É de ciência de todos que os produtos do catálogo da Netflix são flutuantes, ou seja, enquanto uns entram para a lista, outros saem. Isso torna sua competitividade no mercado ainda mais acirrada e apetitosa.

E mais: é possível acompanhar os produtos audiovisuais da Netflix via celular, computadores (PC ou Notebook), Smart TVs, Tablets, dentre outros dispositivos.

O que a Netflix tem a nos ensinar?

Para nós, empreendedores digitais, fica a lição sobre a extensa visão de futuro pertencente aos profissionais que administram a plataforma Netflix.

A internet é uma oportunidade única, que cresce a cada dia, modifica seus caminhos, apresenta soluções, e nós temos que estar atentos a essa interatividade.

Os fundadores da Netflix foram visionários quando perceberam o crescimento da internet no mundo e passaram a ofertar seus produtos, antes entregues via correio, por uma plataforma online. De certa forma, eles continuaram a assinalar o grande diferencial da empresa, ou seja, levar o produto até a casa da pessoa, no conforto da sua sala ou quarto.

Diante dessas estratégias, deixamos aqui duas perguntas para você, empresário: 

Qual é o diferencial da sua empresa?

O que essa justificativa tem a acrescentar no universo online? 

Netflix

Conclusão

Sabe-se que a Blockbuster até tentou viabilizar algo parecido com a Netflix. Contudo, não alcançou o número necessário de assinantes, o que a colocou em queda livre. Enquanto isso, a concorrente que ora havia ofertado um valor aceitável para sua compra, mas fora negado, resolveu investir de vez nesse interessante mercado que se apresentava à sua frente.

Por fim, o crescimento e protagonismo da Netflix, as concorrentes que ela enfrenta nos dias de hoje (parte saudável da competição mercantil), as ofertas de novos produtos e serviços, a participação ativa em premiações, tudo isso nos mostra o quanto é possível investir em novidades.

O maior exemplo da Netflix talvez seja essa ideia em ficar atento à efemeridade das ofertas. E estar à disposição para inovar. Sempre!

Gostou do que leu?

Então confira outros artigos recomendados pra você!

Teste Grátis a melhor ferramenta de MultiAtendente para WhatsApp do mercado?

Tenha vários usuários em um único número de WhatsApp!

Centralize a informação e melhore a qualidade do atendimento!