A necessidade de reinvenção do papel do Corretor de Seguros

0
343

Muitos mercados enfrentam a missão de se reinventar frente à disseminação das tecnologias para não perder negócios, e no mercado de seguros não é diferente. Além das seguradoras estarem buscando novas formas de comercializar seguros e aprimorar sua relação com seus segurados, o corretor de seguros precisa estar atento às transformações do mercado, à necessidade de evolução da categoria diante das possibilidades que a tecnologia tem trazido. A mudança nos hábitos digitais dos consumidores impactam nas formas de interação, e, como responsável por intermediar a relação entre segurados e seguradoras, o corretor de seguros precisa encontrar novas formas de se relacionar com seus clientes. A reinvenção do papel do corretor de seguros significa passar a enxergar a modernização do setor como oportunidade, e não como uma ameaça a sua função; os corretores precisam saber a fundo o que os atuais consumidores esperam e o que as seguradoras podem oferecer. Para aumentar a geração de valor no negócios, agora a figura do corretor de seguros precisa ter um papel ainda mais consultivo junto aos segurados que buscam cada vez mais facilidade e rapidez. As Corretoras Online No mercado internacional a venda de seguros por canais digitais já está consolidada, como exemplo da Inglaterra onde mais de 50% dos seguros são vendidos pela internet. A tecnologia também pode atuar a favor das corretoras de seguros aqui no Brasil e por isso já é hora das corretoras tradicionais abrirem os olhos para este canal invés de tratar as corretoras online como concorrentes. Por exemplo, já existe no mercado brasileiro corretoras online, que realizam cotação de apólices de seguros e ainda descomplicam o acesso à este tipo de informação para o usuário. Empresas de T.I. também apostam na evolução digital e desenvolvem ferramentas que auxiliam as seguradoras à fazerem melhor gestão da sua carteira de clientes, como a solução Advantage Web na empresa Ebix, que promete fazer a gestão da operação de seguros de ponta a ponta. A importância do corretor de seguros O corretor de seguros é a figura responsável pela distribuição de seguros no país. No Brasil, este é um profissional especializado no setor, legalmente habilitado pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), para intermediar os contratos de seguros entre as  sociedades seguradoras e consumidores, pessoas físicas ou jurídicas.

Porém, com o passar dos anos, a evolução do mercado trouxe outras atividades para a figura do corretor no Brasil. Atualmente, além de intermediar contratos, a função do profissional se aproxima muito a de um consultor ou agente, na medida em que presta serviço em toda a vida de uma apólice, atendendo as necessidades das partes, dando informações, tirando dúvidas do segurado, como também trabalhando para que o segurado possa receber da maneira mais rápida possível o valor de sua indenização. – Veja algumas funções do corretor de seguros: Consultor – Atua prestando consultoria para os clientes e assessorando no que for necessário, principalmente na escolha da seguradora, que oferece melhores condições de custos, produtos e benefícios. Analista de Risco – Atua identificando as possíveis perdas e as melhores coberturas para os eventuais sinistros. Administrador do Contrato de Seguro – Como administrador atua durante toda a vigência do contrato. Tem a função de proteger os direitos do segurado em eventuais mudanças na apólice, auxiliar no reporte de sinistros e também observar os prazos estabelecidos na apólice. Renovação do Seguro – Atua de acordo com a necessidade do segurado de renovar o contrato de seguro. Informa as mudanças relacionadas à prazos e custos, além de negociar com a seguradora e orientar o segurado sob as condições gerais dos termos. O papel corretor de seguros no Brasil Diferente do que ocorre no Brasil, em diversos outros países o corretor de seguros possui uma definição clara do seu papel como agente de seguros, sendo representante dos interesses do segurado frente às seguradoras, com legislação bem definida para a prática. Já no Brasil, de acordo com a lei brasileira, o corretor de seguros não é representante do segurado e nem da seguradora, exercendo atividade de intermediação dos contratos de seguros – tendo, inclusive, limitado por lei, a permissão de “relação de emprego ou direção com sociedade seguradora” (Decreto-Lei 73/66 – Artigo 125).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor introduza seu comentário!
Por favor indique seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.